Como precificar produtos de uma loja virtual? Confira 4 dicas!

ecommerce

A precificação de produtos é apenas mais uma etapa na vida de qualquer empresário. A partir do momento em que um empreendedor decide colocar no mercado um produto ou serviço ele enfrenta diversas situações e desafios, afinal, o objetivo final é atender aos consumidores de forma satisfatória, ao mesmo tempo em que visa o lucro.

Quando falamos de vendas online, esse assunto se torna ainda mais desafiador, uma vez que a concorrência pode ser muito maior, dependendo do nicho, e também por diversas outras questões que envolvem o ambiente online. 

Aqui mesmo no blog, nós já falamos sobre plataformas de e-commerce e hoje nosso conteúdo vai explorar outro tema bastante importante dos negócios online, a precificação. Se você chegou até esse post, é porque em algum momento já se perguntou como precificar produtos, certo? 

Então continue a leitura e vamos ver algumas dicas! 

Dicas de como precificar produtos

Custos e despesas na ponta do lápis

Esse é um dos pontos principais que nunca devem ser deixados de lado durante um processo de precificação de produtos. O empreendedor deve ter o total domínio e controle das despesas que envolvem o negócio, tanto as fixas como as variáveis. 

Os custos fixos envolvem desde aluguel do escritório ou ponto comercial até o salário dos funcionários, ou seja, não mudam de acordo com o volume de pedidos ou vendas, sempre serão os mesmos custos, por isso fixos. 

Os variáveis podem sofrer algum tipo de alteração de acordo com o volume de produtos vendidos, considerando que pode ser necessário ao empreendedor solicitar mais mão de obra ou matéria prima, por exemplo. 

Nesse caso, cabe ao empreendedor definir o percentual de retorno esperado sobre os custos, para fazer a empresa prosperar. Se existem custos fixos e variáveis em torno de R$ 1.000 e você decida que 20% é um bom retorno, você deverá incluir esse valor na precificação dos produtos. 

Não esqueça da margem de lucro

A margem de lucro dos produtos vendidos costuma afetar muitos empreendedores, principalmente na fase inicial do negócio. Isso porque, de forma equivocada, os empresários vendem com uma margem de lucro mínima, às vezes até beirando apenas o suficiente para cobrir os custos necessários. 

Esse tipo de prática vai totalmente contra as ambições de crescimento de qualquer empresa, afinal, para crescer de forma saudável é preciso lucrar. Mas a margem de lucro não vem somente para o crescimento, mas também dará fôlego em possíveis emergências e situações inesperadas.  

A rentabilidade deve ser equilibrada, uma vez que preços baixos demais comprometem o funcionamento da empresa e preços muito altos afastam o consumidor. Vale lembrar que a margem de lucro não é padrão e pode variar de negócio pra negócio ou por tipo de segmento, cabe a você encontrar o modelo ideal. 

De acordo com a startup ContaAzul, podemos definir a margem de lucro como “a porcentagem adicionada aos custos totais, de um produto ou serviço, formando o preço final da comercialização e definindo a porcentagem de lucro que a empresa terá em cima daquela venda.”

De olho na concorrência 

Outro ponto fundamental que faz os empresários se questionarem sobre como precificar produtos está fora da própria organização, está no mercado. É muito difícil que uma empresa consiga prosperar sem observar os concorrentes e as boas (ou más) práticas do mercado. 

Essa observação às outras empresas vai garantir uma visão mais ampla ao seu negócio. Alguns pontos interessantes para analisar são:

  • Preços praticados pelos concorrentes
  • Opinião dos consumidores sobre a qualidade/preço dos produtos 
  • A variedade de produtos
  • A forma de abordagem nas lojas e marketing em geral 

E mais. 

Esses pontos são importantes para que você possa analisar também o próprio negócio em busca de algum diferencial, afinal, em mercados competitivos os produtos e preços tendem a ser parecidos, o que ganha o consumidor é mesmo o diferencial. 

Calcule o preço final com ajuda de fórmulas

Existem alguns métodos de precificação de produtos disponíveis no mercado, com a intenção de auxiliar o empreendedor na melhor abordagem de valor para os seus produtos e de uma forma mais segura. 

Para observarmos um exemplo prático do cálculo do preço de venda, vamos tomar como base a fórmula utilizada pelo Sebrae, olha só: 

Cálculo do Preço de venda

Preço de Venda = Custo Unitário/100%-(% DV+% DF+% ML)*

DV= despesas variáveis

DF= Despesas Fixas

ML= Margem de Lucro

Fator de Formação do Preço de Venda (Mark-up)

100% – (% DV + % DF + % ML)

Exemplo:

Custo do Produto = R$ 10,00

Despesas Variáveis = 15%

Despesas Fixas = 25%

Valor das Despesas Fixas/Valor de Vendas Totais

R$ 2.500,00/R$ 10.000,00

Margem de Lucro = 10%

Preço de Venda = R$ 10,00/100% – (% 15 + % 25 + % 10) = R$ 20,00

E aí, gostou das nossas dicas de precificação de produtos? Continue acompanhando o nosso blog para mais conteúdos sobre logística, e-commerce, varejo e mais!