Quais os principais tipos de frete? Veja a diferença entre CIF e FOB

Você sabe quais são os principais tipos de frete utilizados por transportadoras? Saber identificar e escolher o melhor tipo de frete é fundamental para qualquer empresa com necessidade de entregas junto a transportadoras.

Dizemos isso porque os tipos de frete influenciam nos custos do envio, seguro de mercadoria e mais. As diferentes modalidades também indicarão de quem é a responsabilidade sobre o produto, do fornecedor que contratou o transporte ou da transportadora?

Por isso, no conteúdo de hoje vamos falar um pouquinho mais sobre isso e te ajudar a entender melhor quais os principais tipos de frete. Vamos lá?

Principais tipos de frete

São basicamente dois os tipos de fretes praticados no Brasil. Mas, apesar das poucas opções, os dois tipos são bastante diferentes entre si. Vamos ver!

Frete tipo CIF

O CIF vem do termo inglês Cost, Insurance and Freight, que podemos traduzir para “custos, seguro e frete”. É uma das modalidades de frete mais utilizadas no Brasil, principalmente por quem possui loja virtual e vende direto ao cliente final.

Nesse tipo de frete, toda a responsabilidade pela carga fica por conta do remetente da carga, ou seja, a loja que envia o produto. Tanto o pagamento pelo envio que deve ser efetuado na hora, como o gerenciamento de riscos e mais.

Por isso é comum que o fornecedor (loja) dilua no valor dos produtos que vende os custos com frete, seguro, impostos e mais. Afinal, todas essas despesas deverão ser pagas na origem da carga, e só é considerada como entregue no momento em que chega às mãos do cliente final.

Frete tipo FOB

Também do inglês Free on Board, traduzido como “livre a bordo”, o tipo de frete FOB é uma modalidade que divide a responsabilidade sobre a carga, isso porque quem assume os custos de frete, seguro e impostos é o próprio comprador.

No tipo de frete FOB, o pagamento só será realizado quando a mercadoria for entregue, diferente do CIF em que o pagamento é feito na origem.

O FOB é bastante utilizado em modalidades de frete e negociação de mercadorias entre empresas, que chamamos de B2B (business to business). Isso porque como se tratam de empresas, o comprador costumeiramente já possui conhecimento e parceria com empresas logísticas, logo acredita que possa ter condições mais interessantes para receber o que comprou.

Existe diferença também no modelo de contratação de frete, o que vamos ver a seguir.

Modelos de contratação dos tipos de frete

Contratação normal

Esse modelo de contratação de frete acontece quando o mesmo fornecedor logístico faz coleta da mercadoria e também a entrega, sem a necessidade de envolver outras empresas ou terceiros no processo.

Subcontratação

Já no modelo de subcontratação, a transportadora fará a contratação de um caminhoneiro e/ou uma empresa para fazer o serviço por ela. Dessa forma, ela consegue ampliar seu raio de atuação.

Redespacho

É um modelo de contratação de frete bem parecido com o da subcontratação. A diferença, nesse caso, é que o frete envolve duas transportadoras que fazem a entrega. Um exemplo clássico é uma transportadora realizar o percurso de A até B, enquanto o seu parceiro  contratado faz o trajeto do ponto B até C.

Redespacho intermediário

No caso do modelo de redespacho, a transportadora indicada pelo cliente não fará a coleta da carga na origem e nem entrega no destino, uma vez que o frete é repassado para terceiros.

Um exemplo disso: uma transportadora contratada faz o trajeto de A até B, a outra que foi solicitada pelo comprador faz de B até C (ocorre o redespacho intermediário) e um terceiro fornecedor leva de C até D – ou ao destino final.

E aí, gostou de conhecer mais sobre os tipos de frete? continue acompanhando nosso blog para mais conteúdos sobre logística!

COMPARTILHAR: